Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Fanfic’

Behind Blue Eyes

 

Behind Blue Eyes

Draco/Ginny

By Jessyka Martins

 

 

” No one knows what it’s like, to feel these feelings, Like I do,

and I blame you! ”

 

 

Como gelo , assim era Draco Malfoy. Aqueles olhos sempre tão frios e claramente solitários. Mas ele não parecia querer sair dessa solidão, muito pelo contrario, como em um iceberg ele parecia congelado junto com ela, com aquela solidão que mesmo sem querer já vi transparecer varias vezes em seus olhos. Foi com ele que eu descobri como era amar, os teus toques gelados que me faziam sentir como se tivesse uma descarga elétrica em meu corpo, as palavras sempre tão rudes que me encorajam , os olhos que conseguiam ver tudo o que eu estava pensando. O teu beijo frio e sem amor fazia meu coração gelar, parar de bater, apesar disso não era uma sensação ruim. Outrora seus beijos eram quentes e cheio de paixão, que me faziam sentir protegida, amada e acima de tudo apaixonada.
Aos poucos eu vi a solidão sair de seus olhos, mas eles nunca deixaram de serem frios. Eu gostava daquele frio , eu gostava daqueles olhos , daquele jeito. Não sei explicar o que me fez gostar tanto dele, não foram os lindos cabelos louros, a arrogância que todas diziam ser tão sexy e nem o corpo perfeito, mas sim os olhos, de um azul incrivelmente lindo. E apesar de serem frios e solitários me fizerem querer estar ao seu lado, fez meu corpo queimar em mil brasas cada vez que ele me tocava. Mas eu sei que não importa quanto tempo, nunca vai haver nada nem ninguém tão frio como você, Draco Malfoy.

 


Read Full Post »

Palavras

Significado das palavras? Não! Sentir as palavras.

A word’s just a word until you mean what you say

Palavras. Só palavras.

Palavras berrantes; saltitantes, palavras incisivas. Magoadoras, incertas, mas sempre precisas. Palavras sobre o mundo, sobre a vida, que englobavam a mim mesma, e, ao mesmo tempo, todos ao meu redor.
Eu já me cansara de tantas palavras.
No entanto, ali estava, ouvindo montes delas. Palavras mentirosas, fingidas, sobre um suposto futuro bom que não existia. Palavras que me cortavam mais fundo que uma lâmina, apenas por serem pronunciadas.

– Palavras são inúteis – murmurei friamente, fitando o céu.
– Não quando bem usadas. – Retrucou Seeley, com seu sorriso calmo e ao mesmo tempo diabólico brincando no canto de seus lábios.
Resolvi entrar em seu jogo.
– E quais você desejaria usar?
– Amor – respondeu prontamente, dando um passo em minha direção. – Principalmente “amor”.
E o que poderia saber ele sobre o amor? O que poderia entender um homem que já destruía tantos sonhos, tantas historias, poderia saber sobre amar?
E, melhor, qual seria a definição de amor?
E ele existiria mesmo? O amor, quero dizer. Não seria ele apenas uma desculpa estúpida para cometermos loucuras? Não seria apenas um motivo para sermos irracionais?

– Isso não é muito criativo – zombei, ainda fria.
– É tudo o que tenho. Mas, não se aflija. Você pode não entender o amor, ou toda sua magnitude, mas pode senti-lo. Afinal, quem somos nós – gesticulou de mim para ele. – Meros mortais, que só buscam um significado para sua vida!
– Minha vida não tem significado.

Ele riu.
– Tem bem mais do que imagina. E cada palavra não dita, cada gesto impensado, cada ação… Paixão – deu mais um passo em minha direção. – Amizade. – Outro passo. – Ciúmes… – Já estávamos frente a frente um do outro, e minha respiração era falha. – Apenas sinta, Temperance. Apenas sinta.

E então nossos lábios se tocaram.

Era como levar um choque elétrico, onde se perpassavam por meu corpo todas as emoções imagináveis. E, de repente, todas as palavras fizeram sentido, como se essa fosse a peça final de um quebra cabeça que permanecera incompleto por muito tempo.
Palavras não me pareciam mais inúteis, não agora. Eram portas para um universo paralelo, portas para a felicidade. Talvez, só talvez, corajoso seja aquele que tenha coragem de atravessar essas portas, em busca do que realmente precisa.
Amor. Que realmente existia, afinal. Ou, pelo menos para todos os que quisessem senti-lo.

FIM

N/A:  essa fanfic é de minha autoria. reflexos entre Momentos de

Brennan & Booth. personagens não me pertencem, direitos reservados a Fox.

Nickelback- Far away

Read Full Post »